17.6.09

OPO, MAD and FNC | 2

Na quarta de manhã cedo embarquei para a capital espanhola, Madrid. O meu primeiro voo pela Ryanair: EI-DHM, Fila 22, Lugar C. Não poderia ter calhado em melhor sítio! Quer dizer, melhor só se estivessemos ficado na mesma fila. Mas não, a ocupação estava lotada, por isso ficámos em filas diferentes. Uma fila atrás da outra. Por isso, não foi mau de todo.

Foi uma viagem calma e curta, 50 minutos. Ainda dentro do aeroporto de Barajas comprámos o cartãozinho, Abono Turístico, válido para dois dias de transportes públicos (utilizámos apenas o Metro). Às 9h e pouco estavamos a tomar o pequeno-almoço numa pastelaria no centro da cidade. No início pensei que dois dias naquela cidade seria pouca coisa, mas não. Nós estivemos em todos os pontos turísticos, foi fantástico. Não sabia que Madrid tinha imensos jardins, parques verdes e lagos. Fiquei maravilhada. Só ainda tinha passado de carro por lá. A primeira coisa que vimos foi o Teatro Real, fica ao lado do Palácio Real que é rodeado por jardins magníficos, tendo ao fundo o rio Manzanares. Depois de alguma espera por causa da imensa gente, entramos para fazer o passeio pelas partes de dentro do Palácio Real que às quartas tem entrada gratuita para todos os europeus. Não é preciso guia e há fones com áudio para escutar sobre o significado de cada sala. Aquilo por dentro é um mundo, recomendo a visita! O lugar, muito luxuoso, é usado pelo Rei Juan Carlos mais em ocasiões especiais do que no dia-a-dia. Em frente do Paláco Real fica a catedral de Almudena onde os Príncipes das Astúrias se casaram em 2004, que na sua origem foi uma mesquita. Mais tarde invadimos o Parque Buen del Retiro que é um labirinto, aquilo é enorme. Para além do Palácio de Cristal há outros palacetes escondidos. À medida que caminhávamos, íamos encontrando um ou outro. Depois de termos aproveitado aquele lugar, saímos pela parte mais a norte, em frente à Puerta de Alcalá, um dos cartões postais mais conhecidos da cidade. Depois disso, foi a vez de irmos às Ventas, ver a maior praça de touros em Espanha, e a segunda a nível mundial. Fomos até à estação mais importante da capital espanhola, Atocha. Emocionei-me a ver aquelas dedicatórias todas em homenagem às vítimas do atentato de 11 de Março de 2004. A noite foi passada no Hotel porque quisemos ver a final da Liga dos Campões. Ficámos contentes. O Barça venceu ao Manchester United, o Messi marcou. Barcelona, olé! Estava de rastos que adormeci durante a partida (xD).

Na manhã seguinte optámos por começar com a Plaza Mayor, local onde antigamente se realizavam as corridas de touros. Actualmente, é onde se vendem artesanatos e onde algumas pessoas se vestem/transformam em bonecos e pedem dinheiro por fotos com turistas. À noite, é a vez das tabernas, que servem vinhos com uma tira de "tapas". É um dos locais mais emblemáticos de cidade. A
Puerta del Sol, considerada o centro do país, estava meio em obras e não pudemos ver muita coisa por ali. O nosso Hotel ficava aqui perto. Na pracinha que há no meio fica a ursa tentando alcançar um madroño com a boca: o símbolo da cidade. A Plaza de España, onde está o famoso monumento a Cervantes, com as estátuas do Don Quijote e de Sancho Panza, dá ínício à famosa Gran Vía. É uma importante área comercial, turística e de lazer, com os seus muitos cinemas/teatros pelo que é conhecida como a brodway madrilena. Descendo a Plaza de España chega-se ao Templo Debod, uma espécie de réplica de templos egípcios. A visão de lá é muito catita, dá para ver a Catedral e o Palácio. Vimos também a AZCA, é uma zona comercial, o local onde acolhe os mais altos prédios da cidade, a Torre Picasso, a Torre Europa e a Torre BBVA. E daí ao Estádio Santiago de Bernabéu (muito falado este dias à conta das contratações milionárias de Perez), propriedade do Real Madrid, é um tirinho. Demos a volta ao estádio todo. Um estádio que é cinco estrelas denominado pela UEFA. Estivemos dentro da loja oficial. Tirei fotos mas não devia, é proibido. Queria comprar uma camisola oficial para a minha colecção mas o preço de 65€ não me agradou. Horas antes tinha encontrado numa loja de desporto uma igual por apenas por 24€. No início fiquei um bocado desiludida, mas a fúria passou-me logo. Virei-me para os cachecóis mas não eram nada jeitosos. Acabei por comprar uma peluche. Mas o monumento mais representativo do glamour de Madrid é a fonte de Cibeles, na Plaza de la Cibeles. É famosa, também, por ser o local onde os adeptos do Real Madrid festejam todos os campeonatos e taças vencidas.

Chegámos ao aeroporto com bastante antecedência, por isso demos uma volta pelas lojinhas. Depois, sentamos-nos ao pé da porta de embarque. Qual a nossa reacção quando vimos que o Sr. que se sentou à nossa beira pagou pela viagem uns 383€; chocante! Nós só pagámos 6.80€ pela viagem à capital espanhola. Achei o aeroporto de Barajas parecido com o Charles-de-Gaulle de Paris, em França. Gostei, e voltarei a Madrid. A cidade dos imensos táxis (LOL).

3 comentários:

Anónimo disse...

Tantas fotosss!
Amei!

Tu é só boa vida ;)

* Лαяiα disse...

Há uns anos tb fui a Madrid e tive oportunidade de visitar alguns dos locais que referis-te no teu post, entre eles a Estação de Atocha e tb fiquei emociada ao ver as dedicatórias e com a grandeza do próprio local!

As fotos são lindas! :D
Beijinhus*

Cidchen disse...

Saptos de Lacinho @ Pois, eu em relação a fotos sou mesmo viciada! Adoro fotografar cada coisinha. É uma recordação que fico. :)

Maria @ O pior é estar lá no sítio, na Atocha, e vir-nos à memória o "acidente". =/ Tal e qual aconteceu-me também quando estávamos a deslocar do aeroporto de Barajas, ainda no verão passado houve lá aquele infeliz acontecimento.