10.10.16

Mudar de casa, de país, de vida.

Diz-se por aí que todos nós vamos mudar de casa pelo menos uma vez na Vida. E apesar de me ter mudado de Portugal para a Suíça em criança (eu tinha 8 anos), e de ter tido um apartamento de férias na minha cidade Natal, apenas e só agora é que me estou a estrear neste processo, o processo da mudança, do princípio ao fim. É que, das outras duas vezes não fiz rigorasamente nada. Os meus Pais trataram de tudo. Mas agora sim. Tenho de ser eu a tratar das coisas. De t-u-d-o! E mais. Vou deixar o país helvético para voltar às minhas origens. É oficial. Às vezes, o único jeito de seguir em frente é mudando de direção, certo? É notório em mim, eu preciso desta mudança para minha realização pessoal. Era o objectivo do meu Pai mudarmo-nos de vez para Portugal este ano. Era. E por isso eu vou! De consciência tranquila. 21 anos depois, vou mudar-me do Paraíso (estabilidade, qualidade) para viver num Mundo cruel (caótico, instabilidade). Sem medo. No dia em que me despedi da empresa em que trabalho ninguém estranhou. Ninguém. Nem o meu chefe, nem o meu director, nem todos os meus colegas. Eles sabem a ligação que tenho com as minhas raízes. Não foi surpresa para ninguém, parecia que já estava toda a gente à espera que acontecesse. E isso aconteceu no dia 10 de Junho, por mero acaso, precisamente no dia de Camões, o dia de Portugal. Ou terá sido antes o destino?!

Mudar de casa não é tarefa fácil. Parece mais simples do que é, mas para quem trabalha, e eu ainda vou trabalhar até o final deste mês, e tem o tempo limitado torna-se complicado de gerir tudo e é preciso ir tratando dos assuntos todos aos poucos e com tempo. E mais complicado é, quando se junta esse factor fundamental, o de mudar de país. Dá uma trabalheira danada. É caixa para cá, correria para lá, viagens entre cá e lá. Documentos, cancelamentos, telefonemas. A burocracia é enorme. Os meus dias terminam com um cansaço brutal. Ando nisto desde Agosto. E sozinha. A minha Mãe já se encontra em Portugal. O último passo é limpar a casa, fazer as últimas malas e despedir-me das minhas pessoas, dos meus amigos, dos meus colegas, dos meus vizinhos. Ainda bem que agora há Internet. Assim vamos continuar próximos. Porque quando eu me mudei para cá, naquela era não havia telefones em todas as casas, não era possível se conectar com tanta facilidade. Escreviam-se cartas, trocavam-se fotografias de longe a longe. Era assim, na década de 90, que se matavam as saudades da família, das pessoas mais próximas. Ir a Portugal? Duas vezes por ano, no Verão e no Natal. E de carro. Andar de avião era caro. Mais tarde começaram a aparecer os computadores, os telemóveis. Emigrar tornou-se mais leve e banal. Hoje em dia é muito normal e até parece moda. Não há fronteiras, há vôos baratos, há facilidade em comunicar com quem nos é próximo (Facebook, Skype, WhatsApp, etc.). Não é preciso muita coragem.

15 comentários:

Andreia Morais disse...

Acredito que não seja um processo fácil. Espero que corra tudo pelo melhor :)

Andreia Barbosa disse...

Com certeza que não está a ser fácil, mas acredito também que, dado que tens muita ligação às tuas origens, te vais adaptar lindamente... o pior mesmo são as burocracias!
Quanto aos amigos, a Internet veio facilitar imenso as comunicações :)

http://cidadadomundodesconhecido.blogspot.pt/

Ana Ribeiro disse...

Ás vezes as mudanças fazem falta e fazem bem.

Espero que sejas muito feliz nesta tua nova vida porque mereces.

Um beijinho linda! :* <3

S* disse...

Ui, é uma loucura... em cinco anos de vida em comum já vamos na terceira casa... é uma loucura o processo de mudança!

Claudia disse...

Muito boa sorte nesta grande mudança, eu também regressei a Portugal há 3 semanas e tem sido uma loucura, é uma aventura, mas a recompensa é gigante!

http://ladocdavida.blogs.sapo.pt/

Andreia Morais disse...

r: Muito, muito obrigada!
É deixar a inspiração fluir, de certeza que também tens esse dom :)

Miguel Gouveia disse...

Ai senhooooores :o E eu que já não esperava nada pela chegada da estação :(

É normal que seja complicado e de gerir. No entanto, havendo união familiar acaba por tudo ser bem mais suportável :)

NEW OUTFIT POST | Isn’t a Goodbye!
InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

Isa Sá disse...

Boa sorte para esta nova fase da vida. que tudo corra bem!


Isabel Sá
Brilhos da Moda

Miuda Maquilhada disse...

Boa sorte , felicidades 💗

inestcastro disse...

Falta-me a coragem para me mudar, por isso parabens por a teres. Muito boa sorte :)

Magda Carvalho disse...

Muita força e boa sorte para esta tua nova fase :)
http://retromaggie.blogspot.pt/

Adriana R. disse...

Espero que corra tudo bem, boa sorte :)
The Fancy Cats | International Giveaway

Maria Sem Limites disse...

Entao parece que tens mesmo andado super ocupada e numa correria enorme, faz parte. Se mudar dr casa ja é complicado nem quero mesmo imaginar a trabalheira que dá mudar dr país. Beijinhos. 😊😊😊

Marta Moura disse...

Já mudei de casa p'raí umas 5 vezes, que canseira! :)

Lucy disse...

Mudar de casa cansa, digo-o por experiência própria. Mas não é nada comparado ao mudar de país, de cultura, de clima, de estabilidade e de ambiente social. Mas sabes que mais? Há que vir sem medos, sem receios. Se vens, vem com tudo e com vontade. As tua raízes e as deles. Está no teu destino e era um objectivo de vida que te ensinará e acrescentará valor em ti. Vais ter dias bons e maus, como todos nós, mas irás ser bem recebida e nós somos um excelente povo! =P